Por: Ana Paula Lourenço

Atire a primeira pedra quem não se tentou em gastar tudo em compras nos EUA, Panamá, Paris ou Dubai. Se a sua intenção é visitar lugares levando uma malinha pequena de roupas e outra enorme vazia, só para carregar todos aqueles sonhos de consumo, é melhor fazer um bom planejamento para não estourar o orçamento.

Não é tão difícil quanto parece. Segundo a diretora operacional da Assessoria Contábil JR&M, Maria Amélia Arruda, “o principal é elaborar um pequeno, mas completo, plano de gastos, considerando todos os que ocorrerão, como hospedagem, transporte, alimentação, taxas e impostos, quando aplicáveis”. Ou seja, faça uma lista dos gastos que pretende ter.

Maria Amélia recomenda que “devemos considerar que temos outras despesas mensais, além da viagem propriamente dita e das compras que pretendemos fazer. No caso de viagem de compras, é evidente que devemos diminuir ao máximo os custos com hospedagem e alimentação”. Ela ainda aconselha  que não cheguemos a um endividamento superior a 20% do que ganhamos.

Muitas agências de viagem realizam pacotes com temas de compras que incluem transportes para shoppings e outlets e, por vezes, personal shoppers e cupons de desconto em lojas. O destino principal é os EUA, mas há outros.poupança

A diretora Maria Amélia ressalta: “Deve-se pesquisar os preços dos produtos no local de destino com antecedência (para saber se vale a pena) e procurar um hotel compatível com o objetivo da viagem: proximidade aos locais onde fará as compras, facilidade de locomoção diária, serviços de guarda-volumes e recepção de encomendas”.

Uma dica para reservar o máximo de dinheiro vivo para compras é parcelar as passagens e, se possível, as diárias do hotel. Mas cuidado com o limite do seu cartão!

Em segundo lugar, se ainda não tiver, abra uma conta poupança. Vá guardando o dinheiro que sobra ao fim de cada mês antecedente à viagem. Assim, aos poucos e sem ter que fazer nenhum esforço, você pode organizar um fundo de reserva para as compras, já que você terá rápido acesso ao dinheiro, podendo sacar a qualquer momento.

Outra dica que pode ser chave de ouro: ao invés de esperar a baixa do valor da moeda do destino para comprá-la - e acabar comprando no aeroporto, no último minuto, porque esperou demais -, antecipe-se. Vá comprando a moeda aos poucos: de mês em mês, de duas em duas semanas... fica a seu critério. Saber o exato momento em que uma moeda vai estar em seu menor valor é impossível. Dessa maneira você obterá um valor médio e não terá sustos. Esta dica só vale para paísesanote os gastos onde a venda da sua própria moeda não seja vantajoso.

Agora que o planejamento já foi feito, é necessário atentar para o gasto do dinheiro. É um absoluto consenso entre os contadores e profissionais do ramo que é desperdício de dinheiro utilizar o cartão de crédito comum nas compras internacionais, uma vez que, sobre ele, incide o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) de 6,38% sobre cada transação.

Uma alternativa, segundo a contadora, é de “pesquisar os cartões pré-pagos, os quais podemos carregar como a moeda necessária à viagem (dólar, euro etc) sem a incidência tão elevada de IOF, que passa a ser de 0,38%.” Um dos mais conhecidos é o Visa Travel Money (VTM).

“Também é possível utilizar sites de pagamento, ou o próprio cartão de débito que deve, previamente, estar autorizado”. Mas, segundo alerta Maria Amélia, cuidado: cada cartão tem um critério de conversão de câmbio e cobrança de taxas. Existem situações que a taxa sobre saque de moeda chega a 3% da transação, quase que metade do IOF cobrado nos cartões de crédito. Se você gosta de olhar os preços em vitrines, é hora de olhar os preços dos seus cartões.

Por fim, ao chegar ao seu destino, anote cada gasto que tem ao longo do dia. Guarde os canhotos das operações e, ao fim do dia, passe-os para uma planilha (eletrônica ou em papel). Assim, você terá uma noção real do quanto está gastando e do quanto ainda poderá gastar. Com essas dicas, o seu poder de compra será maximizado e você poderá voltar para casa já planejando a próxima viagem.

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Filtered HTML

  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <p> <iframe>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Gmap

  • Insert Google Map macro.