Por: Natasha Sá Osório

 

Fazer turismo em Vancouver é fácil: é possível chegar em quase todos os pontos turísticos a pé. A cidade é tão organizada que os sinais de trânsito para pedestres estão cronometrados de modo que não seja preciso parar para atravessar a rua. O centro da cidade será moleza.

As atrações turísticas mais afastadas têm ônibus diretos que saem de Canada Place, onde uma banca vende ingressos com valor do transporte incluído. Para chegar lá, pergunte pelo centro de informações turísticas ou desça Burrard Street no sentido leste até cair em Canada Place, a avenida paralela ao mar.

Se, mesmo assim, você se perder, não se desespere. Durante o verão, estão espalhados pela cidade  solícitos voluntários (alguns até poliglotas!), vestidos com colete azul e que dão indicações aos turistas. No resto do ano, os canadenses não vão deixar você na mão: a hospitalidade deste povo é surpreendente. Organização e simpatia - já viu algum lugar que combine os dois? Só mesmo em Vancouver!

Você já tem a certeza de que tudo será simples. Agora, nós lhe dizemos o que fazer em Vancouver. Conheça os 10 programas que você não vai querer perder.

 


1 - Passear em Canada Place

Comece o seu passeio em Canada Place, a avenida que fica logo em frente à linda baía de Coal e as exuberantes montanhas que ao longo de quase todo o ano têm picos nevados. Adiante do centro de convenções, há uma banca que vende ingresso para vários passeios turísticos. Mas, por enquanto, prefira ficar por ali mesmo, pois há muito para ver. Caminhe até a praça Jack Poole Plaza para ver a suntuosa tocha de vidro criada para as Olimpíadas de Inverno de Vancouver de 2010. Hoje em dia, ela é acendida em celebrações especiais e faz companhia à estátua de uma orca gigante, um pouco mais adiante na praça. Uma das filiais do descolado Cactus Club Cafe também marca presença e, se a fome apertar, não deixe de conferir. O cardápio é variado, os pratos deliciosos e, ao que parece, os funcionários saíram da fila de candidatos a Miss/Mister Canadá.

 

 

 


2 - Visitar o FlyOver Canada

Atrás do centro de convenções está o FlyOver Canada, uma nova atração que permite conhecer Canadá inteiro em apenas 20 minutos. Como assim? É uma simulação de voo virtual onde os visitantes se sentam em poltronas que se movem ao sabor das imagens projetadas no telão iMax. Inspirada no show “Soaring Over California”, da Disney, a experiência é tão realista que se sente até borrifadas de água na hora que chega perto de Niagara Falls. A viagem percorre as paisagens mais incríveis de todo o país - até arrepia!

 

 

 

 


3 - Andar de hidroavião

Passeando em Canada Place, você vai reparar que muitos aviões pousam e decolam suavemente na baía de Coal. Andar de hidroavião é bastante comum em Vancouver; é até um meio de transporte muito usado por quem trabalha no centro e mora na periferia. Saindo de Canada Place, há três companhias que fazem voos pelos pontos turísticos de Vancouver, Victoria, Whistler e outros destinos: a Saltspringair, a Seair e a Seaplane Tours. Esta última permite fazer tours personalizados e é a mais barata (a partir de CDN$ 82). Um pequeno passeio até à pacata baía de Horseshoe lhe permitirá ver a paisagem da cidade e sentir como é tranquilo um sobrevoo assim. Para fechar o dia em grande estilo, volte para o centro de Vancouver em um dos barcos zodiac do Sewell’s Marina, que para em vários pontos ao longo do caminho para ensinar sobre a fauna e a flora da costa de Vancouver. Você pode pedir com emoção ou sem emoção - qual vai querer?

 

 


4 - Fazer compras em Vancouver

O centro da cidade é dividido bem a meio de leste a oeste pela Robson Street, a rua que é perfeita para fazer compras em Vancouver. Lá, você encontrará 51 lojas de moda e acessórios que vão desde as fast fashion (Zara e Gap, entre outras) a grifes de alto padrão (como Armani, Saatchi e Tommy Hilfiger), assim como 9 casas dedicadas a beleza (Lush e Body Shop, por exemplo).

Contudo, se for em busca de eletrônicos precisa sair de Robson Street. A uma quadra de lá, na West Georgia Street, o shopping Pacific Centre tem uma loja da Apple. A Future Shop (796 Granville Street) e a Best Buy (2220 Cambie Street) também estão próximas.

Já quem procura artigos únicos confeccionados por artesãos e designers canadenses (sobretudo artistas de Vancouver), o melhor mesmo é seguir as dicas de Brandy Kawulka (na foto), do Posh Shopping Tours. Passeando pela cidade com ela, você estará dentro do círculo mais exclusivo: poderá conhecer designers locais, como Jacqueline Conoir, bisbilhotar os ateliês independentes puramente canadenses, como o eco-chic Twigg & Hottie, tomar champanhe na hora de provar os modelitos e, em alguns casos, até pode encomendar peças por medida ou com alterações segundo o seu gosto. O tour de quatro horas custa CDN$ 150 por pessoa e o de seis horas, CDN$ 250, mas o valor praticamente retorna no momento de pagar as compras, já que os clientes do Posh Shopping Tour têm descontos na maioria das lojas do circuito.

 

 


5 - Viver a vida hype em Gastown

Não muito longe de China Town (onde os lampiões vermelhos e o mercado noturno acusam o bairro chinês), encontra-se Gastown, a parte mais antiga da cidade. Como prova do passar do tempo, um lindo relógio atrai os olhares dos turistas por soltar fumaça e tocar musiquinha a cada 15 minutos - mas não vale a pena chegar ao bater da hora, ou aos 15, 30 ou 45 minutos, pois ele toca sempre um pouco antes! Fãs da gastronomia requintada, apaixonados por bares natureba e adeptos do lifestyle sustentável se encontram aqui nesta região hype. Falam que a primeira construção de Vancouver foi precisamente lá e - acredite - foi um bar. Por isso, você não tem outro remédio se não subir e descer as ruas experimentando tudo o que puder.

Para viver Gastown de verdade, se enturme no Vancouver Food Tour (a partir de CDN$ 105). Nele, você degustará as melhores combinações de comidas com cerveja, coquetel, vinho e outra variedade, passando por quatro restaurantes que privilegiam os ingredientes caseiros e locais. Neste tour, você sente como se estivesse passeando pela cidade com um amigo conhecedor da arte do bem comer e beber. Você será apresentada aos chefs e sommeliers que explicam como fazer a degustação e ainda aprende curiosidades sobre o bairro. Se viajar com crianças ou tiver restrições alimentares, avise na hora de reservar o tour. Quando fizemos o passeio (junho de 2014) fomos informadas de que novos guias que falam português estavam em fase de treinamento.

 


6 - Entrar na onda sustentável através da melhor gastronomia de Vancouver

Quem também organiza tours gastronômicos é o restaurante Edible Canada, no mercado de Granville Island. Mas o seu forte são os eventos de demonstração e os workshops culinários. Se o seu tempo estiver apertado, pelo menos prove os pratos tradicionais canadenses: poutine (batata frita embebida em molho gravy e queijo) puxado em gordura de pato ou carne de alce e iaque (servidos no outono e inverno). O carro-chefe da casa é o hambúrguer de javali, bacon e queijo cheddar, que é de chorar por mais. Mas o Edible Canada se destaca por ser um restaurante bom de coração: apoia um programa de sustentabilidade da caça marítima e oferece bastantes opções para intolerantes a glúten. 

Bom coração também é o restaurante vegetariano The Parker, liderado pelo famoso chef Curtis Luk, que participou do programa de televisão Top Chef Canada. Na hora de pagar, parte da conta é revertida para boas causas e todo o espaço é pensado na sustentabilidade, tanto na confecção dos alimentos, como na decoração e separação do lixo. Até o resíduo orgânico é transformado em composto para a horta da casa! Pedindo o menu degustação (CDN$ 32), o chef vem à sua mesa para perguntar sobre suas restrições alimentares e preferências. Com isso em mente, ele cria 5 pratos personalizados, com ingredientes frescos e look sofisticado. Mas chegue cedo, já que há apenas 19 lugares no minúsculo restaurante onde a cozinha está aberta ao público. 

 


7 - Conheça a verdadeira vida local em Granville Island

Ao sul de Vancouver, encontra-se uma joia que muitas vezes passa despercebida pelos turistas: Granville Island, uma península artificial (embora as pessoas locais a chamem de “ilha”) com uma marina e o Public Market, um mercado de produtores que abre diariamente das 9h às 19h. Lá você pode comprar totens (mastros de madeira esculpida, típicas da região) da loja do artesão Clarence Mills, xarope de bordo (o mapple syrup, que é extraído da árvore homônima cuja folha está estampada na bandeira do Canadá), vinhos gourmet e comidas variadas. Se viajar com crianças, não deixe de visitar o Kids Market, um mercado feito para famílias, com lojas vendendo tudo para a criançada. 

Aproveite para fazer uma aula ou dar um passeio de caiaque ou stand-up paddle (SUP) com a Ecomarine Paddlesport Centres. Assim você pode xeretar através das janelas das casas flutuantes junto ao rio e ter uma visão única dos modernos prédios de vidro de Vancouver. Se preferir, pedindo com antecedência o passeio pode sair de alguma praia de sua preferência. 

 


8 - Desafie as alturas na Capilano Suspension Bridge

A ponte suspensa mais conhecida do mundo fica fora do centro de Vancouver (lembrando que há ônibus saindo para lá desde Canada Place, cujo preço está incluído no valor do ingresso: CDN$ 35.95; descontos para crianças e idosos; menores de 6 não pagam). Se for atrás de natureza intocada e um espaço para a reflexão bucólica, esqueça; Capilano Suspension Bridge, é turística como a Mona Lisa e por isso dificilmente você conseguirá uma selfie sem uma multidão como pano de fundo. Mesmo assim vale a pena visitar, pois além da adrenalina de sentir a ponte tremer debaixo dos seus pés a 70 metros de altura sobre um cânon arborizado, há uma série de outras pontes suspensas menores (e até uma transparente, a Cliffwalk) para curtir no parque. Com os tours que saem a cada hora, você pode aprender sobre a história da construção da ponte (que o guia jura poder suportar o peso de um boeing!) e também sobre as plantas, árvores e animais endêmicos da região, vendo por você mesma. Os pequenos vão amar o caça ao tesouro (que dá direito a um certificado no final!). Há banheiros, loja de souvenir e música ao vivo junto aos restaurantes.

 


9 - Relaxe como um canadense: as praias e parques de Vancouver

Se você já ouviu falar na qualidade de vida de Vancouver, então saiba porquê: a cidade cosmopolita está bem próxima de parques, praias, montanhas e vida marítima, proporcionando opções de lazer variadíssimas. Stanley Park, com suas vastas áreas verdes bem cuidadas, piscinas (abertas durante o verão), duas praias (as praias Second e Third) e jardim de rosas, é uma ótima opção. A dica para quem curte pedalar é alugar uma bike na entrada e percorrer os 10 quilômetros de via que circunda o parque para admirar as encostas naturais com vista para o mar, as montanhas de North Shore e a ponte de Lions Gate. Árvores frondosas pincelam o caminho e a parada para o alongamento (ou para clicar as paisagens!) tem que ser ao lado dos primeiros mastros de totem da cidade. 

As praias de Vancouver podem não ser assim uma Brastemp, mas são ótimas para você observar os canadenses sorrindo de orelha a orelha. É que o inverno por lá é tão frio que o verão é sempre bem-vindo. English Bay, Sunset Beach e Kitsilano são as mais concorridas, sendo que a última tem até uma piscina de água salgada com escorregadores. Quem prefere o sossego deve dirigir-se às praias Spanish Banks e Wreck Beach (seminudista, já que o uso de roupa de banho é opcional). Em todas as praias há salva-vidas de plantão (durante o verão) e é proibido tomar bebidas alcóolicas, usar brinquedos infláveis e jogar com bolas, exceto em áreas assinaladas.   

 


10 -  Obtenha o melhor ângulo de Vancouver em Grouse Mountain

A vista panorâmica do Vancouver Lookout (a torre com uma espécie de “disco” no topo que se vê desde quase todo o centro da cidade) é de fácil acesso. Mas em Grouse Mountain, a perspectiva é especial. Um teleférico leva até o cimo da montanha, a 3,700 metros de altitude, deixando os visitantes olharem Vancouver “pelo lado de fora”. Deixe este programa para um dia sem nuvens (abre diariamente das 9h às 22h e custa a partir de CDN $41.95; há descontos para idosos, jovens, crianças e famílias). 

Chegando lá, diversas atividades ocuparão o seu dia. Há passeios de helicóptero, a visita a uma turbina eólica e seis cafés e restaurantes com vistas fabulosas para a natureza. No Grizzly Lookout Cafe chega-se bem perto do terreno onde estão os ursos pardos, os mais ferozes das montanhas. Para conhecer bem estes animais, visite Grouse Mountain durante o verão, quando há tours em que você pode tirar uma foto junto ao urso mascote do parque. Também é nesta época do ano que há atividades como tirolesa e parapente. Os mais aptos podem percorrer uma trilha de alto nível de dificuldade, com quase três quilômetros de extensão. No inverno, a maior atração por lá é o ski.

Spoiler alert: através do site de Grouse Mountain, você pode ver imagens de câmeras que filmam em tempo real o que está acontecendo no parque. 

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Filtered HTML

  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <p> <iframe>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Gmap

  • Insert Google Map macro.