Por: Giselle Paulino

Como é fazer um safári fotográfico na Namíbia, na África? A gaúcha Malu Froeder conta sobre a sua viagem.


Aos 66 anos, a gaúcha Malu Froeder, administradora de empresa, mãe de três filhas e avó de três netos, resolveu partir para o seu próximo desafio: fotografar animais selvagens em seu habitat natural.

Sempre acompanhada de sua máquina fotográfica, o álbum de recordações de Malu já contava histórias de viagens na Europa, Estados Unidos, Tailândia, Vietnã, Mongólia, Turquia e Marrocos. Mas foi na Namíbia, no sudoeste da África, que Malu realizou um dos seus maiores sonhos: fotografar leões na natureza.

“Sou apaixonada pelo planeta. Gosto de conhecer povos e culturas diferentes. Sempre tive o sonho de ver os grandes mamíferos da África”, diz Malu. 

Localizada ao norte da África do Sul e banhada pelo oceano Atlântico, a Namíbia é líder em conservação da natureza entre os países africanos, se tornando num dos melhores locais do continente para fazer safáris fotográficos. O país é uma das raras regiões onde os rinocerontes-negros não estão em perigo de extinção. Pelo contrário. Graças aos esforços ambientalistas e à criação das Terras Comunitárias para Conservação, este animal quadruplicou nas últimas duas décadas.namibia

A ideia de viajar pela Namíbia era sedutora, mas Malu precisava de companhia. Nesses locais, os percursos são longos e depender de transporte público inviabiliza a viagem. Deslocar-se em um carro 4x4, como uma Land Rover, também é fundamental. Sem ele, fica difícil rodar pelas estradas ou se aproximar das manadas de elefantes e leões.

A viagem que imaginava se encaixou com a proposta da empresa Viajologia Expedições, idealizada pelo fotógrafo e jornalista Haroldo Castro, que desenha roteiros diferenciados a destinos da África e da Ásia. 

“A Namíbia é um país extremamente fotogênico. Suas paisagens não existem em nenhum outro lugar do mundo”, diz Haroldo. “Por isso, escolhi a região para nosso safári fotográfico.” Além de mostrar os destinos mais exuberantes, ao longo do passeio o guia também dá dicas fotográficas para profissionais e amadores aperfeiçoarem suas técnicas e voltarem para casa com as experiências retratadas.

Malu, que já havia participado de uma expedição à Mongólia com Haroldo, não pensou duas vezes para fechar o pacote e fazer as malas para clicar imagens do país africano.

A aventura começou pelas dunas do deserto árido de Sossusvlei. Os contrastes de suas areias vermelhas com o azul do céu se transformam em um espetáculo de luzes e cores.  As árvores retorcidas da bacia calcária Deadvlei, sem vida há seis séculos, criam um cenário único inimaginável. 

O tour seguiu para a Costa do Esqueleto, onde ossadas de animais e escombros de barcos naufragados se misturam com colônias de focas e praias repletas de flamingos. A visita a uma comunidade Himba, Himbapovo étnico da região, rendeu belas imagens.

Mas o momento mais esperado da viagem foi o “game drive”, o passeios de jipe nas reservas de Damaraland e Ongava e no Parque Nacional Etosha, em busca dos “big five”, os cinco mamíferos de grande porte mais cobiçados pelo clique fotográfico: leões, búfalos, elefantes, rinocerontes e leopardos.

Mais lidas:
Como é trabalhar em cruzeiros
Casal viaja para 8 países em 21 dias... sem mala (ele propôs a viagem em site de namoro)
O primeiro homem que visitou 201 países sem usar o avião

Antes mesmo do sol nascer,  os participantes do tour partiram num jipe Land Rover com suas câmeras fotográficas prontas para registrar momentos únicos. O experiente guia local Jimmy Limbo, que acompanhou toda a expedição, reconheceu as fezes de um rinoceronte na estrada e, a partir da pista, afirmou que o paquiderme estava perto. Jimmy e Haroldo pediram a todos para fazer silêncio. Mas quem aguenta a emoção de ver um rinoceronte fêmea e seu filhote pularem, de repente, bem na frente do carro?

Durante os três dias passados nas reservas de Damaraland e Ongava e no parque nacional Etosha, o grupo realizou game drives pelas manhãs e aos finais de tarde. Não adianta tentar observar animais no calor do sol a pino. É preciso acordar às 5h30 da manhã para já estar fotografando antes das 7h. Mas o esforço vale a pena. Nessa viagem, Malu viu um total de 24 espécies de mamíferos, incluindo manadas de elefantes, girafas, zebras  e antílopes das mais diversas cores e tamanhos, desde o imponente órix gazella ao diminuto dik-dik.

“Vivenciamos momentos de grande intensidade. Senti um friozinho na barriga, mas apontei a câmera fotográfica. Em nenhum momento tive medo”, diz Malu. “Minhas amigas ficam assustadas com as histórias que conto, mas a vontade era chegar ainda mais perto dos bichos!” 

Os pernoites foram em luxuosas tendas com camas confortáveis e banheiro com vista para a magnífica savana, em áreas dentro de reservas ambientais. O grupo ficou um mínimo de duas noites em cada acampamento. Passaram pelos acampamentos Kulala, no Parque Nacional Namib-Naukluft, Doro Nawas, na Terra Comunitária de Conservação Doro Nawas, e Ongava, na Reserva Ongava, adjacente ao Parque Nacional Etosha.  mamiferos

Mas nos parques há regras estritas de segurança que precisam ser respeitadas. Leões costumam circular ao redor e ninguém pode andar sozinho até a barraca depois de escurecer. “As chances de que alguém encontre um leão pelo caminho são grandes”, afirmou o gerente do lodge Ongava. 

“Achei que tudo isso fosse bobagem, apenas para criar uma atmosfera e dar um clima de perigo”, diz Malu. “Mas durante o café da manhã do último dia do safári, dez leões apareceram para beber na poça de água em frente ao acampamento.” Malu, sempre a primeira a acordar, estava atenta com sua câmera e conseguiu registrar as melhores cenas.

De volta ao Brasil, ela já se prepara para mais uma jornada. Em abril de 2014, um grupo da Viajologia Expedições irá percorrer a Etiópia por duas semanas. Desta vez, a intenção é fotografar rituais sagrados que acontecem durante a Páscoa na cidade de Lalibela. A jornada à Etiópia levará Malu, Haroldo e um grupo de viajantes à nascente do rio Nilo Azul, aos monastérios do lago Tana e a castelos medievais em Gondar.

“A Etiópia é um país cristão ortodoxo com igrejas belíssimas esculpidas em granito. Estou sempre pronta para aprender mais.  As pessoas não fazem ideia da beleza do lugar que eu vou descobrir”, afirma Malu. “Minhas amigas vão ficar com tanta inveja!”

Para saber mais sobre as jornadas organizadas por Haroldo Castro, visite o site Viajologia Expedições. Ainda há espaços no próximo tour à Etiópia.

Fotos: © Malu Froeder. Malu Froeder no litoral da Costa do Esqueleto (primeira foto, à esquerda). Visitantes sobem uma duna ao redor de Deadvlei, no Parque Nacional Namib-Naukluft (segunda imagem, à direita). Mulher Himba (terceira foto, à esquerda). Leões encontram-se para beber na poça d'água em frente ao acampamento (última imagem, à direita).



ESTE NÃO É UM CONTEÚDO PUBLICITÁRIO OU PUBLIEDITORIAL. Confie no que lê na revista online Mulher Viajante. 

Comentários

Olá Simone,

A próxima expedição para a Namíbia com a Viajologia Expedições será em novembro de 2014. Não temos informação do valor da viagem, já que a agência prefere divulgá-lo diretamente ao cliente, pelo que você terá que entrar em contato.

Através da nossa página de pacotes você pode obter as informações de contato da Viajologia Expedições, detalhes do próximo tour fotográfico à Etiópia e mais ideias para sua próxima viagem!

Um abraço,
Equipe Mulher Viajante

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Filtered HTML

  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <p> <iframe>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Gmap

  • Insert Google Map macro.